quarta-feira, 30 de março de 2011

FELICIDADE #1


No final da década de 90, quando Felicity passava de maneira inédita no Canal Sony, eu tinha por volta dos meus 15 anos de idade. Acertadamente agi não assistindo pois a perda do impacto seria enorme, visto que, com tão pouca idade, eu não poderia conhecer (e nem deduzir) as angústias, as dúvidas e os sentimentos que povoam aquele universo de personagens tão incríveis.

Felicity, além de ser o nome do seriado, é também o nome da principal personagem. E, através dos seus ingênuos e puros olhos femininos, que acompanharemos os acontecimentos de tudo e todos que estarão à sua volta a partir do momento em que ela escolhe deixar sua casa e ir à Universidade de Nova Iorque, "apenas" para se manter próxima da sua paixão dos tempos de colégio: o indecifrável Ben.  

Lá chegando, além de passar por diversos problemas de adaptação e conflitos com os pais, Felicity se dá conta da loucura que fez, e, assim, conhece novos amigos que tentarão dissuadi-la da idéia de abandonar o curso e voltar para a sua cidade. Destes, o mais importante é o supervisor do alojamento da Universidade: o prestativo e sempre ombro-amigo Noel.

Desde o princípio, fica claro que, por maiores os conflitos que possam vir a surgir, basicamente, o roteiro girará em torno da eterna dúvida que perseguirá Felicity até sei-lá-quando: Ben ou Noel?

Sim, eu sei. Parece bobo e piegas. Mas, ao contrário, por exemplo, do que acontece com a boba e piegas Saga Crepúsculo, aqui, os personagens são bem desenvolvidos. Acertadamente, eles se comportam de forma humana e confusa, ou confusamente humana, não sei. São seres que erram e acertam, que ora pedem perdão ora se negam, que amam e têm raiva, mas, que acima de tudo, são cúmplices e amigos que, provavelmente, não mais vão se separar.

E será exatamente por sentir o enorme poder deste ponto específico, que a série encontrará aquele que será seu grande trunfo: nostalgia - passada ou futura. Tentarei explicar (ou complicar): ela é tão carinhosamente produzida, que consegue causar um sentimento de "algo que já se teve e não se tem mais", mesmo nas pessoas que ainda nem sequer experimentaram essa sensação, como por exemplo, os próprios jovens personagens. É como se ela nos fizesse sentir falta de algo que ainda iremos viver, mas, sabidamente, por pouco tempo. Em outras palavras: encoraja-nos a procurar sentir e viver verdadeiramente quando nos encontramos diante de algo especial, visto que aquilo poderá durar pouco tempo e não voltar mais.

No vídeo abaixo, temos os três minutos finais da primeira temporada que acabei de assistir ontem. A minha recém-abandonada ignorância no que tange à montagem de vídeos não me permitiu montá-lo como eu queria - legendado. Porém, creio que mais do que a tradução literal das palavras ditas, basta olhar para a linda cena, que todos vocês conseguirão sentir a beleza e a complexidade dos sentimentos que apontei. Um destaque especial para a bela fotografia em sombra do início, e à canção que acompanha todo o trecho.

video

Observem que, no último quadro, antes de partir para sua viagem de férias, ela escreve o seu nome na parede do alojamento em que morava. Clara e nitidamente conseguimos ler:

Felicity Peres!

OSS!

segunda-feira, 28 de março de 2011

O SOM DO CORAÇÃO #9: UM DIA DESSES - ADRIANA CALCANHOTO

Sempre que me pergunto (ou me perguntam) qual é minha cantora nacional preferida, a resposta imediata é: Ana Carolina. Porém, ultimamente, ando escutando muitas outras cantoras que têm me agradado demasiadamente. Outro dia mesmo, postei a linda canção da Paula Fernandes, e, lá atrás, já havia postado as duas Metades, a de Oswaldo Montenegro e a da própria Adriana Calcanhoto.

De lá pra cá, passei a apreciar com mais atenção o trabalho dela. Cada vez que a ouço, sinto estar diante da voz mais agradável da música brasileira.Voz esta, que poderia escutar por horas e horas sem me cansar. Eis que, num dia desses, andando de carro, me deparei com essa música deliciosa, que retrata - com perfeição - tudo o que estou tentando dizer. 


UM DIA DESSES

De tanto me perder, de andar sem sono
por essa noite sem nenhum destino,
por essa noite escura em que abandono
os sonhos do meu tempo de menino.

De tanto não poder mais ter saudade
de tudo que já tive e já perdi,
Dona Menina eu me resolvo agora ir-me embora
pra bem longe daqui.

Um dia desses eu me caso com você,
você vai ver, ai ai, você vai ver.
Um dia desses de manhã com padre, pompa,
você vai ver como eu me caso com você.

Meu pobre coração não vale nada.
Anda perdido, não tem solução.
Mas, se você quiser ser minha namorada,
vamos tentar, não custa nada.

Até pode dar certo, ai ai,
e se não der, eu pego um avião,
vou pra Shangai e nunca mais eu volto pra te ver.

Um dia desses eu me caso com você,
você vai ver, ai ai, você vai ver.
Um dia desses de manhã com padre, pompa,
você vai ver como eu me caso com você.

Um dia desses eu me caso com você,
você vai ver, você vai ver.
Um dia desses de manhã com padre, pompa,
você vai ver como eu me caso com você!


UM DIA DESSES... 

OSS!

domingo, 27 de março de 2011

CINEMA PARADISO #17: FRASES DE (D)EFEITO

Existem coisas que fazemos a vida inteira sem sequer imaginar que possam existir outras pessoas que também as façam. Digo mais, sem ao menos cogitar que aquilo venha a ter um nome. Pois bem, o vídeo abaixo (dublado, infelizmente) deu nome a algo desse tipo. 

Quando assisti a Vanilla Sky (2001) aproximadamente uma década atrás, me identifiquei, imediatamente, com a frase pronunciada por David (Tom Cruise) ao seu psiquiatra McCabe (Kurt Russel), na qual definia a sua maneira de lidar com os prazeres da vida. Note que ele a usa de maneira bem específica, referindo-se apenas aos prazeres proporcionados por um relacionamento amoroso.

Eu vou além: por que fazer algo prazeroso hoje, se você pode deixar para amanhã e tornar o prazer ainda maior?

video

Observação: de acordo com o áudio original, a tradução mais precisa e, certamente, minha preferida é Prorrogador de Prazeres. Algum tradutor retardado que tirou este "retardador" não-sei-de-onde.


OSS!

sexta-feira, 25 de março de 2011

DEU A LOUCA NO MUNDO #7: HUMOR NEGRO


Um dos melhores tipos de humor, sem dúvida nenhuma.

Observação: o nome correto destes "arcos" é Torii.


Este - em Fuji - foi o maior e mais bonito que vi por lá.


OSS!

A ÚLTIMA NOITE







"Será?" - Renato Russo

OSS!

quarta-feira, 23 de março de 2011

SHOGUN #9: ROCKY BALBOA

Prometi no Orkut que iria falar sobre Rocky, e vou cumprir. Apenas estou enrolando um pouco, pois, de fato, trata-se de algo que me amedronta. Estou certo de que me faltarão palavras, e antes que isso aconteça, sugiro que vocês assistam ao vídeo seguinte. Desta forma, ao menos diminuirá minha vergonha por não conseguir expressar o quão maravilhosa é esta obra, visto que, nesta altura, todos já estarão rindo da minha cara, alçando, assim, o meu vexame a um patamar inalcançável.

Mas, vamos lá. Primeiro a diversão, depois o dever!


E o Oscar vai para... 


ROCKY, SEMPRE!


FICHA TÉCNICA

Estrelando
Danilo Peres como Rocky Balboa

Locação 
Nagahama Castle, Nagahama, Shiga, Japan

Equipe de Apoio 
Hideki Miura
Maria Miura

Câmera
Eiko Miura

Figurinos
Danilo Peres

Fotografia
Eiko Miura


Som
Danilo Peres


Música
Gonna Fly Now - Composed by Bill Conti

Direção de Arte
Danilo Peres

Montagem
Danilo Peres

Produção
Kyoharu Miura

Roteiro
Danilo Peres

Direção
Danilo Peres

Até que isso soa bem!

OSS!

segunda-feira, 21 de março de 2011

O SOM DO CORAÇÃO #8: PRA VOCÊ - PAULA FERNANDES

Penso que poucas coisas podem ser piores para uma obra artística do que a superexposição. Quando uma canção toca demasiadamente nas rádios, ou quando se assiste ao mesmo filme por diversas vezes, muito do impacto original é diluído, diminuindo, assim, a emoção que aquela obra nos provoca.

Porém, as verdadeiras grandes obras costumam ser imunes à esse processo. Ninguém passou a admirar menos o sorriso da Monalisa (o quadro, claro). Nem mesmo as Sinfonias de Mozart correriam este risco, mesmo se as ouvíssemos repetidas vezes. O roteiro de Cidadão Cane continua - e continuará - sendo objeto de estudos. E, E O Vento Levou sempre será inesquecível, por mais que o Corujão continue a exibi-lo alguns pares de vezes por ano.

Disse tudo isso porque, mesmo sem querer comparar essa bela canção com alguma dessas grandes obras clássicas, fato é que esta música - ao menos por enquanto - está conseguindo sobreviver (em mim) ao excesso de repetições diárias nas rádios de todo o país. Isso mostra que ela me tocou de um jeito não apenas superficial, mas mais profundo. Tão profundo quanto a voz abarrotada de alma da linda Paula Fernandes.

Assim como rituais para ver um filme podem ser importantes e, por isso, devem ser respeitados, darei uma dica então: apague a luz, feche os olhos, desligue o monitor, ignore o vídeo do YouTube e viaje na música.

Acredito que bastará Pra Você.


OSS!

domingo, 20 de março de 2011

MULHER NOTA 1000 #6: CLAUDIA CARDINALE

Uma das mais ingratas tarefas que já tive o (des)prazer de cumprir, foi a de selecionar, no Google, apenas uma única foto desta mulher espetacular para ilustrar minha postagem. Espetacular, linda, maravilhosa, exuberante, são adjetivos que, quando enunciados a fim de caracterizá-la, tornam-se risíveis diante da magnitude e da amplitude de sua beleza.

No fim das contas, creio que a melhor maneira de adjetivá-la seja citando as palavras ditas por um dos personagens de Era Uma Vez No Oeste (1968), na tentativa de dissuadi-la da idéia de deixar a terra em que habitavam:

"Você não imagina quanto prazer um homem sente apenas por poder olhar para você".


Ah, como nota-se, falhei na minha missão.

OSS!

sexta-feira, 18 de março de 2011

KARATE KID #2: CORAÇÃO FAIXA PRETA


Dei-me conta, hoje, de que há muito tempo não falo nada sobre Karate aqui no blog. Neste espaço, acabo me apegando aos meus hobby´s (cinema, música, cães) e deixando a profissão de lado, visto que ela já ocupa grande parte do meu dia e das minhas energias. Em todo caso, irei me policiar mais para, vez ou outra, alimentar o blog com vídeos ou artigos sobre a nobre arte das Mãos Vazias, que sejam do meu interesse e, por conseguinte, do interesse dos meus alunos que aqui perdem (no bom sentido) preciosos minutos.

Para começar, segue abaixo um clip muito bom que mostra técnicas de Karate sendo aplicadas em treinamentos e, na seqüência, em competições, com bastante eficiência e plasticidade. O vídeo inicia-se de maneira respeitosa e correta, mostrando alguns Sensei´s perfilados no maravilhoso Dojo da JKA (Japan Karate Association) com piso de madeira impecável. 

Segue, então, mostrando melhores momentos de competições japonesas masculinas e femininas. Note como os atletas ora usam luvas, ora não. Há, ainda, alguns trechos de vídeos bem antigos do Sensei Yahara, famoso por ser o mais maluco dentre todos os Mestres de Karate do Japão. Seu estilo de Kumite (luta) é absolutamente eficiente e igualmente incomum, mostrando que, ao contrário do que muitos afirmam, o Karate não é uma Arte Marcial rígida e previsível. Apenas há de se compreender que, para atingir níveis extremamente elevados de conhecimento como o do Sensei Yahara, devem-se cumprir, por toda uma vida, todas as etapas do aprendizado do Karate. Resumidamente, primeiro aprende-se a forma, para depois livrar-se dela.

Apenas para não perder o costume, aos 4 minutos e 2 segundos, o vídeo mostra o Sensei Naka - estrela também de Kuro-Obi (2007) - em uma cena do filme Karate Girl (2009). Como dica cinematográfica, o primeiro é bem mais interessante.


O crédito do vídeo vai para meu companheiro de treino Donato Mancini, que o postou ontem no Facebook.

BONS TREINOS, BONS FILMES!

OSS!

quinta-feira, 17 de março de 2011

quarta-feira, 16 de março de 2011

O CARTEIRO E O POETA #3: MUSASHI



"(...) Sabe, depois de me despedir de Musashi-Sama no Monte Uryu, passei a compreendê-lo muito melhor. Sabe por quê? Porque hoje confio nele. Eu sempre o amei desesperadamente. Mas, se você me perguntar se eu realmente confiava nele, não posso afirmar com certeza que sim. Mas agora é diferente. Na vida ou na morte, perto ou longe um do outro, nossas almas estarão unidas, inseparáveis como os pássaros gêmeos do poema chinês, ou como as duas árvores de ramos entrelaçados que crescem lado a lado. E porque acredito nisso firmemente, não sinto falta dele: rezo apenas para que ele tenha sucesso no caminho que escolheu. (...)"
Otsu

OSS!

segunda-feira, 14 de março de 2011

SHOGUN #8: O ENCANTADOR DE CÃES

Amigos, todos vocês sabem que tenho enorme carinho pelos animais. Alimento, passeio, brinco, converso, enfim, sigo - à risca - a cartilha de "como cuidar bem do seu bichinho". Já os que aqui freqüentam, e, ao mesmo tempo, também são meus amigos no Orkut, conhecem bem o Brutus, meu cachorro. Surdo, pesado, folgado, genioso, preguiçoso e, ao que tudo indica, com algum tipo de dificuldade de aprendizado (eufemismo). 


Ao longo dos últimos quase cinco anos, desenvolvi um sistema de educação canina não-tradicional, incomum e, numa primeira olhada, chocante, eu diria. Porém, a obtenção de excelentes resultados com o Brutus (surdo e lerdo), me fez expandir os horizontes. Ao passo que, agora, pretendo levar o meu método não-ortodóxico a todos aqueles que não conseguem fazer com que seu cãozinho aprenda trucagens básicas e cotidianas.

O vídeo a seguir é apenas um pequeno trecho do meu eficiente modelo educacional.


Não tentem fazer isso em casa sem consultar um profissional.

Obrigado, Jê e  Fer, por cederem, em prol da ciência, as imagens do Digo. Saudades de todos vocês!

OSS!

sábado, 12 de março de 2011

CINEMA PARADISO #16: FRASES DE (D)EFEITO

Woody Allen é, definitivamente, um gênio. Dono de uma filmografia incomparável, que inclui algumas obras-primas, muitos filmes sensacionais, outros tantos ótimos e, como não poderia deixar deixar de ter, uns poucos apenas razoáveis e repetitivos. O que apenas atesta que, além de gênio, Allen é um ser humano (o que, confesso, nunca tive muita certeza).

Estabelecendo em seus filmes temáticas recorrentes como conflitos religiosos, medo da morte, hipocondria, relacionamentos tumultuados e, claro, sexo, Allen faz uso sempre de um senso de humor rebuscado, uma pesada ironia e um timing perfeito para o humor físico.

Neste abaixo, Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1977), mesmo com o ridículo título em Português, o carismático diretor consegue nos presentear com uma obra brilhante, duramente realista e absolutamente inventiva. Ao nos atentarmos aos detalhes, a única conclusão a que se pode chegar é que, de fato, Woody Allen está(va) décadas à frente dos demais diretores de seu tempo.

Apenas a análise dos dez segundos seguintes renderia uma interminável e fantástica discussão. E, exatamente neste aspecto, Allen esbanja todo o seu brilhantismo. Ele consegue, ora com poucas palavras, ora com muitas, ora sem uma sequer, evidenciar as falhas, as fraquezas e o quão patético pode ser o homem. Ao mesmo tempo, deixa claro que apenas o fato de ter consciência disso não o torna diferente do resto de sua espécie.

video

A quem possa interessar, aí vai uma pequena lista dos filmes do diretor que vi e suas respectivas notas. Lembrando que Woody Allen, além de, naturalmente, dirigir suas obras, também escreve a maioria dos roteiros destas. E isto, simultaneamente, mostra que além de talentoso, Allen é desconfiado e sabedor de que poucas pessoas poderiam vislumbrar exatamente aquilo que ele está querendo que seja mostrado. Match Point para ele!



OSS!

quarta-feira, 9 de março de 2011

O SOM DO CORAÇÃO #7: EVERYBODY HURTS - REM


TODO MUNDO SE MACHUCA

Quando seu dia é longo,
e a noite, a noite é solitária,
quando você tem certeza de que já teve o bastante desta vida,
continue em frente.

Não desista de si mesmo,
pois todo mundo chora,
e todo mundo se machuca as vezes.
As vezes tudo está errado,
agora é hora de cantar sozinho.

Quando seu dia é uma noite solitária (aguente firme, aguente firme).
Se você tiver vontade de desistir (aguente firme).
Se você achar que teve demais dessa vida para prosseguir.

Pois todo mundo se machuca.
Consiga conforto em seus amigos.
Todo mundo se machuca.
Não se resigne, oh, não, não se resigne.

Quando você sentir como se estivesse sozinho,
não, não, não,
você não está sozinho.

Se você está sozinho nesta vida,
os dias e as noites são longos.
Quando você sente que teve demais dessa vida para seguir em frente,
bem, todo mundo se machuca.

As vezes, todo mundo chora,
e todo mundo se machuca as vezes.

Então, aguente firme...
Aguente firme...
Aguente firme...

Todo mundo se machuca.

Você não está sozinha!

video

OSS!

domingo, 6 de março de 2011

O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA #2: KIT-FOLIÃO

Atualização: 06/03/11

BEM-VINDO À ROCKYLANDIA!

Pôster na parede.

Aconchegante!

O detalhe do posicionamento das TV´s é o charme.
OSS!

*****

Como deve ter dado para deduzir pela postagem anterior, eu não sou muito chegado em celebrar o Carnaval do modo convencional: bebendo, fedendo e saltitando abestadamente. Assim sendo, pensei em algo extremamente bacana, útil e que irá me ocupar os quatro dias de forma muito mais emocionante e envolvente.

Eis, então, o que irei fazer no Carnaval.



ADRIANNNN, estou chegando.

OSS!